+55 (21) 3938-9771 posneolatinas@letras.ufrj.br

teses

Quadriênio 2024 - 2021

Total de dissertações defendidas: 1 

TESES DEFENDIDAS EM 2022

Total de teses defendidas: 5

Carolina Ecard

Título:O licenciamento da estratégia de relativização cortadora
nas variedades do espanhol de Lima, Caracas, Madri e Sevilha.

Orientador(a):  Profa. Dra. Maria Mercedes Riveiro Quintans Sebold

Páginas: 206

Resumo

Este estudo investiga a estratégia de relativização cortadora do espanhol, que se
caracteriza pela omissão da preposição diante do pronome relativo. Ainda são escassas as
pesquisas que investigam com maior aprofundamento os aspectos gramaticais envolvidos
na produção da estratégia cortadora, tradicionalmente caracterizada como uma incorreção
gramatical e proscrita pela tradição normativa. Destaca-se, neste sentido, o estudo de Pato
e De la Fuente (2019), no qual os autores propuseram que a estrutura sintática das
relativas cortadoras do espanhol pode ser compreendida a partir da proposta de análise
formal desenvolvida por Kato e Nunes (2009) e Kato (2010). Desta forma, as relativas
cortadoras seriam derivadas a partir de estruturas de deslocamento à esquerda e a omissão
preposicional seria explicada pela não seleção de uma preposição ainda na numeração.
Além disso, identificamos, na literatura especializada, que a estratégia cortadora é um
fenômeno que está amplamente difundido em diversas variedades do espanhol e que é
motivado por diferentes fatores linguísticos. Os principais objetivos de nossa pesquisa
consistem em: a) comparar as tendências de realização da estratégia cortadora nas
variedades do espanhol de Lima, Caracas, Madri e Sevilha, b) problematizar a
caracterização desta estratégia como uma anomalia gramatical e c)investigar os fatores
que favorecem a seleção da estratégia de relativização cortadora nas quatro variedades do
espanhol que estudamos (o tipo de preposição omitida, a função sintática relativizada, o
traço de animacidade e o grau de escolaridade dos falantes). Como nossa hipótese
principal, assumimos que a estratégia cortadora é mais selecionada que a estratégia padrão
na produção oral de falantes de variedades peninsulares do espanhol, enquanto nas
variedades não peninsulares prevalece a estratégia padrão sobre a cortadora. Também
defendemos as hipóteses de que: a estratégia cortadora é mais produtiva entre falantes de
menor escolaridade; antecedentes com traço [- animado] favorecem a ocorrência das
relativas cortadoras; a preposição que mais favorece o apagamento nas relativas
cortadoras é a preposição en; a função sintática que mais favorece a seleção da estratégia
cortadora é a função de complemento circunstancial. Como metodologia, adotamos a
análise de corpora compostos por amostras de produção oral de falantes das variedades
do espanhol de Lima, Caracas, Madri e Sevilha. De maneira geral, nossos resultados
confirmam todas as hipóteses que foram levantadas. Verificamos que as relativas
cortadoras são estruturas produtivas entre falantes de espanhol de diferentes níveis de
escolaridade e de diferentes variedades desta língua. O fato de as cortadoras serem

construções que estão submetidas à influência de diferentes fatores linguísticos e do fator
extralinguístico que investigamos (a escolaridade) demonstra, ao nosso ver, que a
estratégia da omissão da preposição é uma estratégia gramaticalmente motivada e tão
legítima quanto as demais estratégias de relativização do espanhol.

Palavras chaves: estratégia cortadora; espanhol; variedade de Lima; variedade de
Caracas; variedade de Madri; variedade de Sevilha.

Abstract 

This dissertation investigates the phenomenon of prepositional-phrase chopping
(PP-chopping) in relative clauses, a relativization strategy registered in Spanish, which is
characterized by the omission of the preposition in front of the relative pronoun. There
are still few researches that investigate in greater depth the grammatical aspects involved
in the production of the PP-chopping strategy, traditionally characterized as an error and
proscribed by the normative tradition. In this sense, we highlight Pato and De la Fuente’s
(2019) study, who proposed that the syntactic structure of Spanish PP-chopped relatives
can be described according to the formal analysis developed by Kato and Nunes (2009)
and Kato (2010). In this way, the PP-chopped relatives would be derived from left

dislocated structures and the prepositional chopping would be explained by the non-
selection of a preposition in the numeration. In addition, we identified in the specialized

literature that the PP-chopping strategy is a phenomenon that is widespread in several
varieties of Spanish and is motivated by different linguistic factors. The main goals of our
research are: a) to compare the trends in the production of the PP-chopping strategy in
the Spanish varieties of Lima, Caracas, Madrid and Seville; b) problematize the
characterization of this strategy as a grammatical anomaly c) to investigate the factors
that favor the selection of the PP-chopping strategy in the four varieties of Spanish that
we studied (the type of omitted preposition, the relativized syntactic function, the animacy
of the antecedent and the level of education of the speakers). Our main hypothesis is that
the PP-chopping strategy is more frequent than the standard strategy in the oral production
of speakers of peninsular varieties, while in non-peninsular varieties the standard strategy
prevails over the PP-chopping. We also defend the hypotheses that: the PP-chopping
strategy is more productive among less educated speakers; inanimate antecedents favor
the occurrence of PP-chopped relatives; the preposition that most favors the selection of
the PP-chopping strategy is the preposition en; the syntactic function that most favors the
selection of the PP-chopping strategy is the circumstantial complement. The methodology
that we adopted is the analysis of corpora composed of speech samples from Spanish
speakers of Lima, Caracas, Madrid and Seville. In general, our results confirm all the
hypotheses that we proposed. We found that the PP-chopped relatives are frequent
structures among Spanish speakers of different levels of education and different varieties
of this language. The fact that the PP-chopped relatives are constructions that are subject
to the influence of different linguistic factors and the extralinguistic factor that we

investigated (education) demonstrates, in our view, that the strategy of omitting the
preposition is a grammatically motivated strategy and as legitimate as the others Spanish
relativization strategies.

Keywords:PP-chopping strategy; Spanish; Lima; Caracas; Madrid; Seville.

 

Claudia Maria Vasconcelos Lopes
Título: Comunidades de prática na escola pública: a produção discursiva de três docentes envolvidas na construção da interdisciplinaridade

Orientador(a):  Profa. Dra. Paula Tatianne Carréra Szundy

Páginas: 206

Resumo

Esta tese tem os seguintes objetivos: a) compreender a minha trajetória e a de duas docentes que frequentaram o projeto de Formação Continuada, intitulado Práticas de linguagem em diferentes áreas do conhecimento na escola pública (PLIEP); b) revisitar o projeto PLIEP a fim de problematizar as dificuldades enfrentadas por mim e pelas duas participantes ao longo do projeto com base no conceito que comunidades de prática; c) contemplar a relação entre teoria e prática no que diz respeito às ideologias das professoras acerca das concepções de interdisciplinaridade e a epistemologia que circulou ao longo do projeto. O PLIEP foi idealizado por docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e submetido à Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à pesquisa do Estado do Rio de Janeiro no programa Apoio à Melhoria do Ensino em Escolas da Rede pública em 2011. Reuniu docentes de três escolas diferentes da
esfera pública, para se debruçar sobre as Práticas de linguagem em diferentes áreas do conhecimento. O estudo, que se alinha ao paradigma qualitativo-interpretativista de pesquisa, faz um recorte no projeto para focar em duas docentes e na minha crise identitária, optando pela metodologia de estudo de caso. O estudo é norteado por uma visão de educação como ato responsável (Szundy, 2014) a partir de concepções de linguagem desenhadas pelo círculo de Bakhtin (1920-24[2012]) e entende a formação continuada no viés epistemológico de comunidades de prática (WENGER, 1998). Os dados são abordados de acordo com a microanálise sociolinguística e o construto teórico-analítico utilizado é a categoria de alinhamento (GOOFMAN,2002). A análise revela que as docentes enfrentaram dificuldades do ponto de vista da gestão da escola em que trabalham e no momento de tessitura do projeto interdisciplinar demandado pela professora do último módulo não percebem mudanças concretas nas suas práticas pedagógicas após o PLIEP. Compreendem que a academia contempla a teoria, mas parece se afastar da prática. Atribuem este fato ao possível distanciamento dos docentes da academia da sala do ensino básico. Contudo, demonstram satisfação em participar do projeto em momentos tênues e sutis. Diferente das duas docentes, podemos dizer que minhas micro (des)estabilizações ao longo do PLIEP em relação à formação continuada e interdisciplinaridade ocupam agora um espaço de total (re)significação. 

Palavras chaves: Formação Continuada, Comunidade de Prática, interdisciplinaridade, escola pública

Abstract 

The objectives of this thesis are as follows: a) to undertand my trajectory and that of other two teachers who participated of the Teacher Development (Continuing Education) Project, entitled Language Practices in different Areas of Knowledge in Public School(PLIEP); b) to review the PLIEP project to question the difficulties faced by me and the other two participants during interactions throughout the project based on the premise informed by the concept of community of practice; c) to reflect on the relation between theory and practice with respect to the teachers’ ideology regarding the concepts of epistemology and interdisciplinary that were present throughout the project. The PLIEP was idealized by teachers of Universidade Federal
do Rio de Janeiro and submitted to Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) in the program for supporting the improved education in public schools called “Apoio à melhoria do Ensino em Escolas da Rede Pública” in 2011. It gathered teachers from three different public schools to elaborate on “Language practices in different areas of knowledge”. The study, which is in line with the qualitative-interpretivist paradigm of the research, uses the project (PLIEP) to focus on two teachers and my identity crisis, opting for
the case study methodology.The study is guided by a vision of education as a responsible act (Szundy, 2014) based on conceptions of language drawn by the Bakhtin Circle (1920-24 [2012]) and understands the continued education in the epistemological bias of the communities of practice (WENGER, 1998). The data are addressed in accordance to the sociolinguistic microanalysis and the theoretical-analytical construct used is the alignment category (GOOFMAN,2002). The analysis indicates that teachers faced difficulties related to the management of the school where they worked,and, upon developing the interdisciplinary project required by the last module professor, they did not notice concrete changes in their pedagogical
practices after the PLIEP. They understand that the academy contemplates theory, but seems to move away from practice. They attribute this fact to the possible distancing of professors from the elementary school. However, they are pleased to participate in the project in subtle moments. Different from the two teachers, it can be said that my micro (de)stabilizations throughout the PLIEP in relation to my continuous development and interdisciplinarity now occupy a space of total (re)signification.

Keywords: Continued Formation; Community of Practice; Interdisciplinarity; Public school

 

Daiane Basílio de Oliveira

Título: Comunidades de prática na escola pública: a produção discursiva de três docentes envolvidas na construção da interdisciplinaridade

Orientador(a):  Profa. Dra. Celina Maria Moreira de Mello

Páginas: 212

Resumo

Estudo das estratégias enunciativas e dos valores por elas investidos na
construção discursiva presentes no projeto de criação literária de George Sand,
como esforço de reflexão crítica e discussão sobre o seu próprio fazer literário
diante de um ideal ético e estético. A Tese está centrada na perspectiva de que
os recursos linguísticos cooperam para a legitimação da escritora em sua
trajetória no campo literário francês. Fundamentada no aporte sociodiscursivo, a
pesquisa se desenvolve através dos conceitos de ethos e cenografia da Análise
do Discurso Literário proposta por Dominique Maingueneau, e na teoria do
sociólogo Pierre Bourdieu acerca do campo literário, trajetória, habitus, capital e
posição. Para isso, foram analisados os romances Lélia (1841), François le
Champi (1853), La Mare au Diable (1857), e Le dernier Amour (1867), em uma
leitura apoiada nas concepções literárias da escritora nos prefácios e notas, na
autobiografia Histoire de ma vie (1854), em Correspondance (1883) e nos
demais documentos que se inserem como relevantes na discussão da criação
literária sandiana. A Tese assevera, assim, que o projeto de criação literária de
George Sand é arquitetado por seus sucessivos posicionamentos enunciativos
e posições ocupadas no campo literário, os quais são determinantes para sua
legitimidade enquanto escritora.

Palavras chaves: George Sand, Trajetória, Discurso literário, Ethos, Criação
literária.

Abstract 

Study of enunciative strategies and the values invested by them in the discursive
construction in the literary creation project of George Sand, as an effort of critical
reflection and discussion about her own literary work in the face of an ethical and
aesthetic ideal. The Thesis is centered on the perspective that linguistic
resources cooperate to legitimize the writer in her trajectory in the literary field.
Based on the sociodiscursive contribution, the research is developed through the
concepts of ethos and scenography of the Analysis of Literary Discourse
proposed by Dominique Maingueneau, and in the theory of the sociologist Pierre
Bourdieu about the literary field, trajectory, habitus, capital and position. For this,
the novels Lélia (1841), François le Champi (1853), La Mare a Diable (1857), and
Le dernier Amour (1867) were analyzed, in a reading that is in the literary
conceptions of the prefaces and notes, in the autobiography Histoire de ma vie
(1854), in Correspondance (1883) and in other documents that are relevant in the
discussion of sandian literary creation. The Thesis asserts that the literary
creation project of George Sand is architected by her successive enunciative and
occupied positions in the field, which are the determinants for her legitimacy as a
writer.

Keywords: George Sand, Trajectory, Literary discourse, Ethos, Literary creation.

 

 

Giselle Maria Santos de Araujo

Título: VOZ E SUBJETIVIDADE NEGRAS NA POESIA DE NANCY MOREJÓN

Orientador(a):  Profa. Dra. Professora Doutora Elena Palmero González.

Páginas: 224

Resumo

A presente tese de doutoramento tem como objetivo investigar como a voz e a
subjetividade do sujeito negro são expressas, singularizadas e radicalizadas na poesia de
Nancy Morejón. A investigação se assenta no campo disciplinar dos Estudos
afrolatinoamericanos que partem do histórico e do teórico para remapear as histórias,
estratégias e lutas dos chamados negros da região desde o tráfico de escravos do Atlântico
Sul até os movimentos identitários atuais, tendo a raça como variável chave no processo
de formação das nações latino-americanas. A presente tese também se ancora em um
conjunto de conceitos. Com os estudos de De La Fuente (2018), Andrews (2007) e Gelado
e Secreto (2016) definimos a categoria Afrolatinoamérica. Com Alencastro (2000),
Pombo (2002), Martínez-Echazábal (1996), Antón Sanchéz (2007), Abreu (2020) e
Moreira (2019), definimos raça e racismo. O conceito de negritude foi examinado a partir
dos estudos de Césaire (1934), Fanon (2008), Munanga (2009) e Kutzinsk (2015). Os
estudos de Gilroy (2001) e Hall (2003) balizaram o conceito de culturas do Atlântico
Negro. Já o conceito de heterogeneidade cultural é tomado de Cornejo Polar (2003) e da
leitura que Graciela Ortiz (2005) faz de sua obra, enquanto o conceito de transculturação

é tomado a partir dos estudos de Ortiz (1983), Rama (1982), Oliveira Neto (2019) e Pérez-
Brignoli (2017). Com Hirsch (2001) examinamos o conceito de pós-memória e, por fim,

com Paulo Freire (1987) definimos o conceito de radicalização. A partir da análise em
perspectiva diacrônica das obras Mutismos (1962), Amor, ciudad atribuída (1964),
Richard trajo su flauta y otros argumentos (1967), Octubre imprescindible (1982),
Piedra Pulida (1986), Balada para un sueño (1991) e Madrigal para un príncipe negro
(2020), observamos como foi se configurando a voz e a subjetividade negras na obra de
Nancy Morejón e afirmamos que na literatura da autora a voz do sujeito negro tomou o
lugar do sujeito lírico para expressar uma subjetividade e uma experiência negras como
componente essencial da formação cultural cubana, cientes de que esse processo social
foi e é de profundas tensões, que se expressam no interior do sistema literário. Através da
Estética do Güije que anima a obra de Morejón, defendemos que sua poesia constitui uma
categoria de análise da literatura cubana contemporânea.

Palavras chaves: Nancy Morejón, Voz e Subjetividade negras, Estética do Güije,
Literatura cubana.

Abstract 

The present doctoral thesis aims to investigate how the voice and subjectivity of the black
subject are expressed, singularized and radicalized in Nancy Morejón’s poetry. The
investigation is based on the disciplinary field of Afro-Latin American Studies to which
the starting point is the historical and the theoretical studies to remap the histories,
strategies and struggles of the afrodescendents in the region from the South Atlantic slave
trade to current identitary movements, with race as a key variable in the process of
formation of Latin American nations. This thesis is also anchored in a set of concepts.
With the studies of De La Fuente (2018), Andrews (2007) and Gelado e Secreto (2016),
we defined the Afro-Latin America category. With Alencastro (2000), Pombo (2002),
Martínez-Echazábal (1996), Antón Sanchéz (2007), Abreu (2020) and Moreira (2019),
we define race and racism. The concept of blackness was examined from the studies by
Césaire (1934), Fanon (2008), Munanga (2009) and Kutzinsk (2015). The studies by
Gilroy (2001) and Hall (2003) framed the concept of cultures in the Black Atlantic. The
concept of cultural heterogeneity, on the other hand, is taken from Cornejo Polar (2003)
and from the reading that Graciela Ortiz (2005) makes of her work, while the concept of
transculturation is taken from the studies of Ortiz (1983), Rama (1982), Oliveira Neto

(2019) and Pérez-Brignoli (2017). With Hirsch (2001) we examine the concept of post-
memory and, finally, with Paulo Freire (1987) we define the concept of radicalization.

Based on the diachronic analysis of the works Mutismos (1962), Amor, ciudad atribuida
(1964), Richard trajo su flauta y otros argumentos (1967), Octubre imprescindible (1982),
Piedra Pulida (1986), Balada para un sueño (1991) and Madrigal para un príncipe negro
(2020), we observe how the black voice and subjectivity were configured in the work of
Nancy Morejón and we affirm that in the author’s literature the voice of the black subject
took the place of the lyrical subject to express a subjectivity and an experience black
women as an essential component of Cuban cultural formation, aware that this social
process was and still has deep tensions, which are expressed within the literary system.
Through the Aesthetics of Güije that strengthens Morejón’s work, we defend that her
poetry constitutes a category of analysis of contemporary Cuban literature.

Keywords: Nancy Morejón, Black Voice and Subjectivity, Aesthetics of Güije, Cuban
Literature.

 

Sarita Costa Erthal

Título: O Decameron e as Mil e uma noites: narrativas e culturas em contato.

Orientador(a): Prof.a Dr.a Sonia Cristina Reis
Coorientador(a): Prof. Dr. Mamede Mustafa Jarouche

Páginas: 157

Resumo

Cenários de horror, causados pela morte de mulheres e pela peste bubônica, emolduram
as histórias das Mil e Uma Noites e do Decameron, respectivamente. Apesar de escritas em
continentes e épocas distintas, os dois livros trazem, em comum, um conto que contextualiza
suas narrativas. É por meio delas que personagens se livram do peso evocado por
acontecimentos que, de certo modo, fizeram parte da cultura e/ou história de um povo, em prol
da vida. A “leveza”, termo cunhado por Calvino (1990), é o fio com o qual se tecem as histórias
e que amarra os livros oriental e ocidental, na medida em que estes se distanciam do
acontecimento trágico das molduras e buscam, pela literatura, um caminho para superar o
desequilíbrio. Esta pesquisa tem como princípio analisar os contatos culturais entre as Mil e
uma noites, de autoria anônima, e o Decameron, de Giovanni Boccaccio, por meio de suas
narrativas. O livro árabe, cujo manuscrito mais antigo data do século IX, tornou-se conhecido
pelo público europeu apenas no século XVIII, após ter sido traduzido pelo arabista francês
Antoine Galland. Apesar disso, observa-se que esse conteúdo era conhecido pelo autor italiano,
ao preencher algumas de suas novelas com perspectivas mileumanoitescas. Os contatos, nesta
tese, serão evidenciados com base na leveza, atestada pelas similitudes foucaultianas. A leveza,
então, é a ponte intertextual entre os livros árabe e italiano. Sua demonstração ocorre por
estudos sociais, históricos e culturais das regiões envolvidas; pela avaliação das trocas culturais
e pelo estabelecimento de temas comuns aos corpora.

Palavras chaves: Decameron; Mil e uma noites; Literaturas em contato; Culturas em contato;
Leveza.

Abstract 

Horror scenarios, caused by the death of women and the bubonic plague, frame the
stories of the Arabian Nights and the Decameron, respectively. Despite being written on
different continents and times, the two books share a common tale that contextualizes their
narratives. It is through them that characters get rid of the weight evoked by events that, in a
way, were part of the culture and/or history of a people, in favor of life. Lightness, a term coined
by Calvino (1990), is the thread that weaves the stories and ties the oriental and occidental
books, insofar as they distance themselves from the tragic event of the frames and seek, through
literature, a way to overcome the imbalance. The principle of this research is to analyze the
cultural contacts between the Arabian Nights, by anonymous authorship, and the Decameron,
by Giovanni Boccaccio, through their narratives. The Arabic book, whose oldest manuscript
dates from the 9th century, became known to the European public only in the 18th century, after
being translated by the French Arabist Antoine Galland. Despite this, it is observed that this
content was known by the Italian author, as he filled some of his novels with Arabian night
perspectives. The contacts, in this thesis, will be evidenced based on lightness, attested by
Foucauldian similarities. Lightness, then, is the intertextual bridge between Arabic and Italian
books. Its evidence comes from social, historical and cultural studies of the regions involved;
by evaluating cultural exchanges; and establishing common themes for corpora.

Keywords: Decameron; Arabian nights; Literatures in contact; Cultures in contact; Lightness.

 

TESES DEFENDIDAS EM 2021

Total de teses defendidas: 7

Débora de Castro Barros

Título:Tradução e barbárie: palavras que sangram.

Orientador(a): Marcelo Jacques de Moraes
Coorientador: Marcelo S. Norberto

Páginas: 125

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo pensar uma dimensão bárbara para a tradução. Tendo como suporte teórico principal as análises discursivas do filósofo Michel Foucault, a tradução é tomada nesta tese sobretudo como acontecimento, não estando, assim, circunscrita a uma série histórica. Embora Foucault não tenha empreendido uma análise da tradução, ao estudarmos suas reflexões sobre o discurso como instrumento para analisar a loucura, a sexualidade, o sujeito, empreendendo uma análise do discurso e de seus efeitos, é possível usar suas discussões teóricas para esse fim, uma vez que tradução é, sobretudo, discurso, sendo tomada nesta pesquisa como processo tradutório. Partindo, então, das reflexões de Foucault sobre o discurso, analisando a função-autor tratada por ele e estabelecendo também uma função-tradutor e uma função bárbara para a tradução, esta passa a ser tomada como uma forma de resistência, expressa nos sentidos resvalados do texto original ao traduzido, e vice-versa. A dimensão bárbara é pensada pelo viés da abordagem decolonial de Leopoldo Zea, pensador latino-americano que reflete sobre o bárbaro em sua relação com o grego. Segundo ele, o bárbaro era aquele que falava mal o grego, ou seja, o colonizado que falava mal a língua do colonizador.Reafirmando esse maldizer, esse maldito, contudo, o bárbaro passa a reafirmar também sua humanidade, resistindo, pela língua, à colonização. Fazendo um deslocamento, a tradução é pensada também como resistência, ao manter no texto traduzido as marcas, os sotaques do original. Para ilustrar, foram usados dois textos, um de Foucault sobre a tradução, “Palavras que
sangram”, que é o subtítulo desta tese, em que ele analisa o modo de traduzir do poeta Pierre Klossowski, que mantém no francês a sintaxe latina, causando desconforto e estranhamento, e outro de Pierre Chevallier, em que o autor trata do Foucault tradutor. Como resultado, percebe-se que a dimensão bárbara da tradução está em sua não assimilação pela língua-fonte, mantendo no texto traduzido seu aspecto de tradução e deixando entrever em suas linhas a língua-fonte. Como o colonizado de Leopoldo Zea, então, a tradução se inscreve no logos do original e, além de ter razão, passa também a tomar a palavra.

Palavras-chave: Tradução. Barbárie. Discurso. Colonizador. Colonizado. Michel Foucault. Leopoldo Zea.

Abstract 

This research aims to think about a barbaric dimension for translation. Having as main theoretical support the discursive analyzes of the philosopher Michel Foucault, the translation is taken in this thesis mainly as an event, thus not being limited to a historical series. Although Foucault did not undertake an analysis of the translation, when studying his reflections on the speech as an instrument to analyze madness, sexuality, the subject, undertaking an analysis of the discourse and its effects, it is possible to use his theoretical discussions for this purpose, since translation is, above all, discourse, being taken in this research as a translation process. Starting, then, from Foucault’s reflections on the discourse, analyzing the function-author treated by him and also establishing a function-translator and a barbaric function for translation, this becomes a form of resistance, expressed in the slipped senses from the original to the translated text, and vice versa. The barbarian dimension is thought through the bias of the decolonial approach of Leopoldo Zea, a Latin American thinker who reflects on the barbarian in his relationship with Greek. According to him, the barbarian was the one who spoke Greek badly, that is, the colonized who spoke poorly the language of the colonizer. Reaffirming this say badly, this bad say, however, the barbarian starts to reaffirm his humanity, resisting, through language, colonization. Making a displacement, the translation is also thought of as resistance, keeping in the translated text the marks, the accents of the original. To illustrate, two texts were used, one by Foucault on the translation, “Words that bleed”, which is the subtitle of this thesis, in which he analyzes the way of translating by the poet Pierre Klossowski, who keeps the Latin syntax in French, causing discomfort and strangeness, and another by Pierre Chevallier, in which the author deals with the translator Foucault. As a result, it is perceived that the barbaric dimension of translation is in its non-assimilation by the source language, maintaining in the translated text its aspect of translation and showing the source language in its lines. As the colonized of Leopoldo Zea, then, the translation is inscribed in the logos of the original and, besides being rational, it also starts to speak.

Keywords: Translation. Barbarian. Speech. Colonizer. Colonized. Michel Foucault. Leopoldo Zea.

 

Gisele Maria Nascimento Palmieri

 Título: Marcas discursivas do silêncio: a omertà nos romances-ensaio Il giorno della civetta, A ciascuno il suo e Il contesto, de Leonardo Sciascia.

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Fabiano Dalla Bona.

Páginas: 238

Resumo

A vivência até os 20 anos de idade no período fascista levou o escritor Leonardo
Sciascia a se transformar em “um certo tipo de escritor”, um intelectual impegnato que
critica as diferentes formas de poder (fascismo, antifascismo, máfia e antimáfia) que ele
conheceu e vivenciou desde a infância, na Sicília. Enquanto comprometido contra o
poder, em sua trajetória se posiciona no campo literário como o primeiro escritor a
abordar a temática da máfia de maneira não folclórica. Porém, seu olhar crítico vai
além, direcionando-se, também, para a (não) reação dos sicilianos a todas essas formas
de poder. Esta tese investiga a interpretação feita pelo escritor siciliano Leonardo
Sciascia sobre a omertà – a “lei do silêncio”, uma prática que está, em sua origem,
ligada ao modus operandi da malavita meridionale, embora também seja considerada
um hábito cultural da sociedade siciliana. O objetivo é identificar as variadas marcas
discursivas desse silêncio omertoso nos romances-ensaio Il giorno della civetta (1961),
A ciascuno il suo (1967) e Il contesto (1971) e demonstrar como o posicionamento do
escritor siciliano determinou a construção de uma cenografia e de um ethos que
legitimam a identidade enunciativa que ele criou em sua movimentação enquanto
intelectual impegnato. Embora não exista qualquer menção à palavra omertà em tais
romances, acreditamos que tal crítica se apresenta de modo implícito nos textos
literários, o que pode indicar que essa prática foi uma importante preocupação de
Sciascia, embora tenha sido escassamente abordada em estudos sobre a sua obra. A
hipótese a comprovar é de que o silêncio sobre todas as formas de poder que atingiram a
sociedade siciliana foi a acusação mais importante feita pelo escritor à Sicília. É a partir
desse raciocínio que explicamos o investimento genérico que o escritor faz em
romances pseudopolicias, com o qual ele cria uma trajetória própria no intertexto.
Apoiamo-nos no suporte teórico oferecido pela Análise do Discurso francesa, utilizando
os conceitos de paratopia, cenografia e ethos do linguista Dominique Maingueneau.
Identificamos que, na visão do mestre de Racalmuto, a omertà como uma lei do silêncio
que encobre a autoria dos crimes associados à máfia confunde-se, na Sicília, com um
comportamento de apatia ampliado a todo tipo de crime praticado na ilha. O
comportamento omertoso, de modo geral, é identificável no ethos dos narradores e
personagens dos romances-ensaios escolhidos como corpus da pesquisa, com os quais
se constrem cenografias em que o silêncio apresenta diferentes motivações: medo
(omertà original), indiferença (sicilitudine) ou conivência (omertà oficial). Se por um
lado Sciascia busca encontrar explicações históricas das quais se utiliza para identificar
o silêncio do siciliano enquanto expressão da identidade de uma coletividade, por outro
denuncia a instrumentalização da prática da lei do silêncio e as consequências que este
hábito omertoso implica para a sociedade siciliana.

Palavras-chave: Crônica de viagem; Autoficção; Geografia literária; Banco a la Sombra; María Moreno..

Abstract 

His living up to the age of 20 in the fascist period led the writer Leonardo Sciascia to
become “a certain type of writer”, an impegnato intellectual who criticizes the different
forms of power (fascism, mafia, and anti-mafia) that he has known and experienced
since his childhood in Sicily. While committed against power, in his trajectory he places

himself in the literary field as the first writer to approach the mafia thematic in a non-
folkloric manner. However, his criticism goes beyond, also turning to the (non) reaction

of Sicilians to all these forms of power. The present thesis investigates the interpretation
made by the Sicilian writer Leonardo Sciascia on the omertà – “the law of silence”, a
practice rooted in the modus operandi of malavita meridionale, although it is also
considered as a cultural habit of Sicilian society. Our goal is to identify the various
discourse markers of this omertuous silence in his essay novels Il giorno della civetta
(1961), A ciascuno il suo (1967), and Il contesto (1971) and demonstrate how the
Sicilian writer’s positioning determined the construction of a scenography and an ethos
that legitimize the enunciative identity that he created in his works as an impegnato
intellectual. Although there is no mention of the word omertà in these romances, we
believe that this criticism is implicit in his literary texts, which may indicate that this
practice was an important concern to Sciascia, even though it has been scarcely
addressed in previous studies of his work. The hypothesis to be proved is that the
silence on all the forms of power that overtook the Sicilian society was the most
important accusation made by the writer to Sicily. It is in this way that we explain the
effort that the writer makes in his pseudo-political novels, with which he creates his
trajectory in the intertext. Our analysis is supported by the Discourse Analysis
framework of Dominique Maingueneau, based on his concepts of paratopia,
scenography, and ethos. We identified the omertà, in the view of the master of
Racalmuto, as a law of silence that covers up the authorship associated with the mafia
and confounded in Sicily as an apathetic behavior extended to all kinds of crimes
committed in the island. In general, the omertuous behavior is identifiable in the ethos
of all characters and narrators of the essay novels chosen as research corpus, in which
silence presents different motivations: fear (original omertà), indifference (sicilitudine),
or connivance (official omertà). If on one hand, Sciascia seeks to find historical
explanations to identify the Sicilian silence as an expression of collective identity, on
the other, he denounces the instrumentalization of the practice of the law of silence and
the consequences of this omertuous habit to Sicilian society.

Keywords: Sicily, fascism; mafia; power ; impegno ; sicilitudine; omertà; ethos.

 

Maria Fernanda Isidoro

 Título: A METÁFORA DA ILHA NO ENSAIO CARIBENHO DA IDENTIDADE:
VARIAÇÕES NA OBRA DE ANTONIO PEDREIRA, JOSÉ LEZAMA LIMA,

ÉDOUARD GLISSANT E ANTONIO BENÍTEZ ROJO.

Orientador(a): Profa. Dra. Elena Palmero González

Páginas: 174

Resumo

Ao acompanhar o tema da identidade cultural no discurso ensaístico caribenho do
século XX, é possível identificar a recorrência da figura da ilha como metáfora
identitária. O propósito da presente tese de doutorado que desenvolvi junto ao PPG
de Letras Neolatinas é, justamente, estudar como a ilha, tão presente no imaginário
simbólico dos povos caribenhos, transcende à escrita ensaística e se converte em
uma poderosa metáfora identitária, articulando todo um sistema de pensamento,
inclusive, uma poética da escrita. Para isso, foco meu estudo em quatro ensaístas
caribenhos, Antonio Pedreira, Lezama Lima, Édouard Glissant e Antonio Benítez
Rojo, em cuja obra as ilhas tomam a forma de um mito, de uma metáfora expansiva
de originais significações, sempre alusiva aos contatos, aos encontros, ao rico
processo de transculturação operado nessas terras. Nos anos 30, Antonio Pedreira
e Lezama Lima apresentam seus conceitos de insularidade como ponto de partida
para pensar dois projetos nacionais (Porto Rico e Cuba), sendo que em ambos os
casos paira uma singular reflexão em torno do Caribe. Já nos anos 80 e 90, Édouard
Glissant e Antonio Benítez Rojo metaforizam a ilha como ponto de partida para
compreender a própria modernidade caribenha e como o universo caribenho instaura
um pensamento alternativo para ver e compreender o mundo. Para esses dois
ensaístas, esses espaços insulares de essência paradoxal – partidas e chegadas,
encontros e desencontros – criam um ambiente ideal para os fluxos culturais, o
desenraizamento, a instabilidade, o caos e a proliferação de culturas “impuras”,
condição essencial de uma modernidade que pulveriza a ideia axial de supremacia
europeia, de valorização do centro e da raiz única.

Abstract 

By following the theme of cultural identity in the 20th century Caribbean essay
discourse, it is possible to identify the recurrence of the island figure as an identity
metaphor. The purpose of this doctoral thesis, developed with the Postgraduate
Program in Neo-Latin Languages, is to study how the island is so present in the
symbolic imagination of the Caribbean people that transcends essay writing and
becomes a powerful identity metaphor, articulating a whole system of thought,
including a writing poetics. To this end, I focus my study on four Caribbean essayists,
Antonio Pedreira, Lezama Lima, Édouard Glissant and Antonio Benítez Rojo, in whose
work the islands take the form of a myth, an expansive metaphor of original meanings,
always alluding to contacts, to encounters, to the rich transculturation process
operated in these lands. In the 1930s, Antonio Pedreira and Lezama Lima presented
their concepts of insularity as a starting point for thinking about two national projects
(Puerto Rico and Cuba), and in both cases a unique reflection stands around the
Caribbean islands. In the 1980s and 1990s, Édouard Glissant and Antonio Benítez
Rojo metaphorized the island as a starting point for understanding Caribbean
modernity itself and how the Caribbean universe establishes an alternative way of
thinking in order to see and understand the world. For these two essayists, these
insular spaces of paradoxical essence – arrivals and departures, comings and goings
– create an ideal environment for cultural flows, rootlessness, instability, chaos and the
proliferation of “impure” cultures, an essential condition of a modernity which
pulverizes the axial idea of European supremacy, the center valorization and the single
root.

 

Maria Ivone Alves da Silva

 Título:Redes de contato de povos e línguas na Amazônia
no contexto migratório venezuelano/ Maria Ivone Alves da
Silva.

Orientador(a): Prof. Dr. Pierre François Georges Guisan
Coorientador: Prof. Dr. Hildo Honório do Couto

Páginas: 228

Resumo

Nesta pesquisa temos como objetivo geral analisar o contato de povos e línguas numa
rede social no contexto fronteiriço Brasil-Venezuela, a fim de caracterizar a situação
linguística nesta região. A fundamentação teórica perpassa textos históricos,
geográficos, sociolinguísticos e da Ecolinguística, mais especificamente, a Linguística
Ecossistêmica. Discutimos sobre os contatos linguísticos na América do Sul: a
realidade amazônica; a formação do Estado venezuelano: relações e contatos
fronteiriços com o Brasil, até chegarmos nas questões atuais da migração para depois
trabalharmos na análise deste documento os fenômenos linguísticos que aparecem
nas falas dos membros da rede de contato delineada nesta pesquisa. Trabalhos
importantes como Labov (2008 [1972]), Milroy & Milroy (1992), Bortoni-Ricardo (2011),
Calvet (2002), Bessa (2003), Zurita (2007), Moreira (2018), Anderson (2008), Couto
(2007a, 2009a, 2009b). Como aporte metodológico, assumimos a multimetodologia
da Ecolinguística em Couto (2007a, 2009a, 2009b). A coleta de dados foi realizada
por meio de entrevistas semiestruturadas, e também, observação participante,
considerando os aspectos da Sociolinguística de Labov (2008 [1972]), e ainda o
conceito de redes sociais a partir de Milroy (1987), e por último, nos apropriamos para
a análise de dados da Linguística Ecossistêmica. Como resultados, podemos dizer
que a rede de contato estudada estende pela a Amazônia internacional e que esta
rede leva consigo as mudanças e impactos de uso cotidiano nas interações
linguísticas nos ambientes por onde os membros passam, quer seja na oralidade, quer
seja nos elementos não linguísticos presentes nas ruas da cidade de Boa Vista, por
exemplo. Podemos afirmar ainda que existe de fato uma situação de multilinguismo
instaurada em ambos os lados da fronteira Brasil/Venezuela, embora exista uma
maior evidência do mesmo na parte brasileira da fronteira. Na rede de contato
estudada, tanto falantes de espanhol L1, quanto falantes de português L1, produzem
suas falas utilizando a alternância de código (code switching) em ambas as línguas.
É preciso dizer também que essa alternância ocorre como uma adaptação à situação
de comunicação durante os atos de interações comunicativas – AIC ́s.

Palavras-chave: Fronteira Brasil-Venezuela. Migração. Amazônia. Rede de contato.
Línguas em contato.

Abstract 

In this research we have as a general objective to analyze the contact of peoples and
languages in a social network in the Brazil-Venezuela border context, in order to
characterize the linguistic situation in this region. The theoretical foundation runs
through historical, geographic, sociolinguistic and Ecolinguistic texts, more specifically,
Ecosystem Linguistics. We discussed linguistic contacts in South America: the
Amazonian reality; the formation of the Venezuelan State: border relations and
contacts with Brazil, until we reach the current issues of migration and then work on
the analysis of this document, the linguistic phenomena that appear in the speeches
of the members of the contact network outlined in this research. Important works such
as Labov (2008 [1972]), Milroy & Milroy (1992), Bortoni-Ricardo (2011), Calvet (2002),
Bessa (2003), Zurita (2007), Moreira (2018), Anderson (2008), Couto (2007a , 2009a,
2009b). As a methodological contribution, we assume the multi-methodology of
Ecolinguistics in Couto (2007a, 2009a, 2009b). Data collection was carried out through
semi-structured interviews, as well as participant observation, considering the aspects
of Labov’s Sociolinguistics (2008 [1972]), and also the concept of social networks from
Milroy (1987), and lastly, we appropriate ourselves for the analysis of data from
Ecosystem Linguistics. As a result, we can say that the studied contact network
extends across the international Amazon and that this network takes with it the
changes and impacts of everyday use in linguistic interactions in the environments
where members go through, whether orally or in non-verbal elements languages
present in the streets of the city of Boa Vista, for example. We can also affirm that
there is in fact a situation of multilingualism established on both sides of the Brazil /
Venezuela border, although there is more evidence of it in the Brazilian part of the
border. In the contact network studied, both L1 Spanish speakers and L1 Portuguese
speakers produce their speeches using code switching in both languages. It must also
be said that this alternation occurs as an adaptation to the situation of communication
during the acts of communicative interactions – AIC ́s.

Keywords: Brazil-Venezuela border. Migration. Amazon. Contact network. Languages
in contact.

 

Priscila Nogueira da Rocha

 Título:A comédia como espelho da vida privada: reflexões sobre o
teatro de Maquiavel.

Orientador(a): Orientadora: Profa. Dra. Sonia Cristina Reis
Coorientadora: Profa. Dra. Fernanda Messeder Moura

Páginas: 295

Resumo

A Pesquisa de Tese de Doutorado tem por tema a investigação da produção teatral de Nicolau
Maquiavel (1469-1527) e as estratégias empregadas na construção da comicidade que permitiu
o escamoteamento da crítica social com viés autobiográfico no teatro de Maquiavel, através da
análise de suas obras Mandragola e Clizia. Objetiva-se justificar a escolha do gênero teatral,
sobretudo a comédia, bem como evidenciar a adequação e a reestruturação dos temas das
comédias latinas, notadamente as de Plauto e Terêncio, e das novelas boccaccianas e
masuccianas, a partir dos aspectos da construção do texto teatral maquiaveliano, e das
inovações introduzidas que a tornariam pedra fundamental do que viria a ser o teatro
renascentista italiano, bem como suas contribuições para o gênero, para a musicalidade no
teatro e para a língua italiana como um todo, mas principalmente se busca entender a visão de
mundo que Maquiavel evidencia em suas comédias. A análise das obras se dará principalmente
à luz dos estudos de Giuseppe Patota, no que tange à questão da língua, Georges Minois e
Mikhail Bakhtin, para as teorias acerca do cômico, e Pasquale Stoppelli, e suas análises sobre
a obra maquiaveliana.

Palavras-chave: 1. Nicolau Maquiavel; 2. Teatro Italiano do Renascimento; 3. Comédia; 4.
Mandragola; 5. Clizia

Abstract 

This research aims to investigate the theatrical production of Niccolò Macchiavelli (1469-1527)
and the strategies used to build the comedy that allowed the concealment of the social criticism
with an autobiographical bias in Machiavelli’s theater, through the analysis of his works,
especially Mandragola and Clizia. The objective is to justify the choice of the theatrical genre,
specifically comedy, as well as to highlight the adequacy and restructuring of the themes of the
Latin comedies, notably those of Plautus and Terence, and of the Boccaccian and massucian
novels, from the aspect of the Machiavelli’s theater text construction, and the innovations
introduced that would make it the cornerstone of what would become Italian Renaissance
theater, as well as its contributions to the genre, to the musicality in the theater and to the Italian
language as a whole, but mainly this research seeks to understand the worldview that
Machiavelli presents in his comedies. The analysis of his works will take place mainly in the
light of the studies of Giuseppe Patota, with regard to the question of language, Georges Minois
and Mikhail Bakhtin, for the theories about the comic, and Pasquale Stoppelli, and their analysis
of Machiavelli’s work.

Keywords: 1. Niccolò Machiavelli; 2. Renaissance Italian Theater; 3. Comedy; 4. Mandragola;
5. Clizia

 

Samara Heringer Coelho do Nascimento

 Título: O levante das minas pretas nos circuitosda poesia oral de São Paulo, Botogá e havana 

Orientador(a): Profa. Dra. Elena Palmero González

Páginas: 214

Resumo

Esta tese estuda a produção literária de poetas mulheres negras que transitam pelos
territórios da poesia oral, em três cidades da América Latina, colocando, na cena poética
continental, formas, temas e novas vozes enunciativas que merecem a atenção da crítica
e da historiografia literária. A emergência dessa figura feminina negra nos territórios da
poesia oral contemporânea evidencia não só a potência de um movimento poético, mas
também o vigor de uma agenda política nas mãos de agentes historicamente
marginalizados que convertem o palco da poesia oral em ágora de debate político e
contestação social. Trata-se de uma produção que cresce vigorosa nos saraus e slams da
periferia de São Paulo, no spoken word de Havana e nos recitales poéticos e poesía
tamboreada de Bogotá. O objetivo da pesquisa é analisar a potência desses discursos
poéticos orais produzidos por mulheres afrolatinoamericanas e como suas performances
tensionam um cânone literário letrado. Esse objetivo central desdobra-se em outros:
apresentar o desenvolvimento histórico desse movimento na América Latina, com
ênfase no território poético do eixo São Paulo/Bogotá/Havana; caracterizar essas
práticas poéticas e demostrar como voz, corpo e subjetividade femininas negras se
expressam nessa produção, delineando um espaço de resistência ao permanente
silenciamento imposto pela cultura branco-patriarcal. Escolhi como objeto de pesquisa a
produção de quatro jovens poetas de São Paulo: Mel Duarte, Luz Ribeiro, Kimani e
Tawane Theodoro; três poetas residentes em Bogotá: Ashanti Dinah Orozco Herrera,
Yesenia Escobar Espitia e Alba Nelly Mina; e três de Havana, sendo elas Luz de Cuba,
Afrika Reina e Afibola Sifunola Umoja. Partindo da análise de suas produções literárias
e de uma imersão nos territórios poéticos em que elas estão inseridas, a pesquisa
procede com o estudo comparado, sinalizando para temáticas em comuns (a

ancestralidade, o feminino, a religiosidade, a crítica à condição da mulher negra latino-
americana) e para afinidades no âmbito das formas (apelo pelo intertextual, pela

indeterminação, pela contaminação genérica, pela explicitação de um espaço
autobiográfico). A pesquisa está ancorada nos conceitos teóricos de performance, de
Paul Zumthor (1997) e Diana Taylor (2015); de oralitura, de Leda Martins (2003) e nas
contribuições teóricas sobre a questão racial de Lélia Gonzalez (1980), Alejandro de la
Fuente (2000) e de Grada Kilomba (2019).

Palavras-chave: poesia oral – spoken word – poesía tamboreada – poetry slam –
performance – negritude – feminino

Abstract 

This thesis attempts to discuss the literary production of black women poets who move
through the territories of oral poetry, in three cities in Latin America, placing forms,
themes and new enunciative voices on the continental poetic scene that deserve the
attention of critics and literary historiography. The emergence of this black female
figure in the territories of contemporary oral poetry demonstrates not only the power of
a poetic movement, but also the vigor of a political agenda in the hands of historically
marginalized agents who turn the stage of oral poetry into an agora of political debate
and social contestation. It is a production that grows vigorously in the soirees and slams
on the ghettos of São Paulo, in the spoken word of Havana and in the poetic recitals of
Bogotá. The main goal of the research is to analyze the potency of these poetic oral
discourses produced by Afro-Latin American women and how their performances
tension a literate literary canon. This principal purpose unfolds into others: presenting
the historical development of this movement in Latin America, with an emphasis on the
poetic territory of the São Paulo/Bogotá/Havana axis; characterizing these poetic
practices and demonstrating how black female voice, body and subjectivity are
expressed in this production, outlining a space of resistance to the permanent silencing
imposed by white-patriarchal culture. I elected as research object the production of four
young poets from São Paulo, Mel Duarte, Luz Ribeiro, Kimani and Tawane Theodoro;
three poets residing in Bogotá, Ashanti Dinah Orozco Herrera, Yesenia Escobar Espitia
and Alba Nelly Mina; and three from Havana, Luz de Cuba, Afrika Reina and Afibola
Sifunola Umoja. Based on the analysis of their literary productions and an immersion in
the poetic territories in which they are inserted, this work proceeds with the comparative
study, pointing to common themes (ancestry, the feminine, religiosity, criticism of the
condition of black Latin American women) and for affinities in the ambit of forms (an
appeal for the intertextual, for the indeterminacy, for generic contamination, for the
transparence of an autobiographical space). This research is anchored in the theoretical
concepts of performance, by Paul Zumthor (1997) and Diana Taylor (2015), of
oralitura, by Leda Martins (2003) and theoretical contributions on the racial issue by
Lélia Gonzalez (1980), Alejandro de la Fuente (2000) and de Grada Kilomba (2019).

Keywords: Oral poetry – spoken word – poesía tamboreada – poetry slam –
performance – blackness – feminine

 

Samara Heringer Coelho do Nascimento

 Título: A crônica de María Moreno: escrita e máscaras do sujeito

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Silvia Cárcamo

Páginas: 103

Resumo

Em Banco a la Sombra existe um “eu” de María Moreno que viaja por diferentes cidades do mundo e que passeia por praças e suas redondezas para captar cada movimento da urbe. Um
indivíduo que se vê a si mesmo na cidade e, mais especificamente, na experiência do espaço público, lendo-a e entendendo-a como um discurso, um ambiente que devolve ao seu
observador imagens subjetivas. Não é, portanto, um olhar turístico que permeia esses espaços, mas um olhar viajante, que também percebe, que mantêm sua vista distanciada do
comum, que não se perde na fantasia de estar em um país alheio e lhe permite enxergar sutilezas como, por exemplo, os sujeitos normalmente tratados como periféricos na cidade –
mendigos, prostitutas, imigrantes – mas que sempre habitaram esse espaço central: a praça. A presente pesquisa tem como tema o estudo de crônicas de viagem a partir da leitura e análise
da obra Banco a la Sombra, publicada em 2007, escrita por María Moreno, jornalista e escritora contemporânea argentina, responsável por um dos estilos mais reconhecidos da crônica atual. Os objetivos são os de estudar a relação espaço e sujeito a partir de teorias de Michel de Certeau (1998); discutir a relevância do topos na narrativa das crônicas que compõem o corpus, levando em consideração os estudos de Luis Alberto Silva e Silvana Oliveira (2001); e avaliar e definir a ficcionalidade ou a não ficcionalidade assim como a característica autobiográfica de Banco a la Sombra à luz de conceitos de Philippe Lejeune (1994) e dos estudos dos discursos do “eu”. Para isso, selecionamos e analisamos cinco crônicas que compõem a obra, intitulando como norteadores os aspectos “geografia literária”, que nos leva à relação espaço e sujeito; e “autoficcionalidade”, critério que identifica possíveis tensões entre o real e a ficção. Trazemos também um breve percurso sobre a história do gênero crônica, focando na tradição do mesmo na Argentina, e também os diferentes formatos e usos que o ambiente da praça teve ao longo da história, tomando como ponto de partida a Antiga Grécia. Como resultado e conclusão, entendemos a obra como híbrida, uma vez que sua narrativa se desloca frequentemente entre o real e a invenção, localizando-se, através disso, no campo da autoficção que aposta pela desestabilização das dicotomias e prefere o lugar ambíguo. Demonstramos que esse é o lugar da enunciação do gênero localizado entre o jornalismo e a ficção, que é praticado pela crônica atual. Também concluímos que o ato de viajar, não necessariamente precisa ser in situ. A observação da cidade e a troca de experiências com o lugar transcende a necessidade do deslocamento do corpo. A relação sujeito e espaço pode ser totalmente ficcional, alimentada apenas pela literatura e pela globalização cada vez mais imaginada.

Palavras-chave: Crônica de viagem; Autoficção; Geografia literária; Banco a la Sombra; María Moreno.

Abstract 

En Banco a la Sombra existe un “yo” de María Moreno que viaja por diferentes ciudades del mundo y que pasea por plazas y sus alrededores para capturar cada movimiento de la urbe.
Una viajera que se ve a sí misma en la ciudad y, más específicamente, en la experiencia del espacio público, leyéndola y entendiéndola como un discurso, un ambiente que devuelve a su
observador imágenes subjetivas. No es, por lo tanto, una mirada turística que impregna esos espacios, sino una mirada viajera, que también percibe, que mantiene bajo su vista alejada de
lo común, que no se pierde una fantasía de estar en un país ajeno y le permite ver sutilezas como, por ejemplo, los sujetos normalmente tratados como periféricos en la ciudad – mendigos, prostitutas, inmigrantes – pero que siempre habitaron ese espacio central: la plaza. La presente investigación tiene como tema el estudio de crónicas de viaje a partir de la lectura y análisis de la obra Banco a la Sombra, publicada en 2007, escrita por María Moreno, periodista y escritora contemporánea argentina, responsable por uno de los estilos más reconocidos de la crónica actual. Los objetivos son los de estudiar la relación espacio y sujeto a partir de teorías de Michel de Certeau (1998); discutir la relevancia del topos en la narrativa de las crónicas que componen el corpus, llevando en consideración los estudios de Luis Alberto Silva y Silvana Oliveira (2001); y evaluar y definir la ficcionalidad o no ficcionalidad así como la característica autobiográfica de Banco a la Sombra a la luz de conceptos de Philippe Lejeune (1994). Para esto, seleccionamos y analizamos cinco crónicas que componen la obra, nombrando como norteadores los aspectos “geografía literaria”, que nos lleva a la relación espacio x sujeto; y “autoficcionalidad”, criterio que identifica posibles tensiones, desplazándose entre lo real y la invención, situándose, por ello, en el campo de la autoficción que apuesta a la desestabilización de las dicotomías y prefiere el lugar ambiguo. Demostramos que este es el lugar de la enunciación del género ubicado entre el periodismo y la ficción que es practicado por la crónica actual. Incluímos también un breve recorrido sobre la historia del género crónica, enfocando en su tradición en Argentina, y también en los diferentes formatos y usos que el ambiente de la plaza tuvo a lo largo de la historia, teniendo como punto de partida la Antigua Grecia. Como resultado y conclusión, entendemos la obra como híbrida, desplazándose frecuentemente entre lo real y la autoficción. También concluímos que la acción de viajar, no necesariamente debe ser in situ. La observación de la ciudad y el cambio de experiencias con el lugar trasciende la necesidad del desplazamiento del cuerpo. La relación sujeto y espacio puede ser totalmente ficcional, alimentada nada más por la literatura y por la globalización cada vez más imaginada.

Keywords: Crónica de viaje; Autoficción; Geografía literaria; Banco a la Sombra; María Moreno.

 

COORDENAÇÃO

Coordenadora/Coordinator:
Prof(a). Dr(a). Letícia Rebollo Couto
Vice-Coordenador:
Prof. Dr. Ary Pimentel

ATENDIMENTO

segunda à sexta:
09h às 17h

Telefone:
55 21 3938-9771

E-mail:
posneolatinas@letras.ufrj.br

ENDEREÇO

Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas 
Av. Horácio de Macedo, 2151. Sala F-325
Cidade Universitária — Faculdade de Letras da UFRJ.
CEP 21941-917. Rio de Janeiro — RJ