Doutorado

Tese 2019

Nome da autora: Igor Castilho Porsette

Título do trabalho: A intercompreensão no ensino de línguas estrangeiras: reflexões sobre a
prática em “Leitura plurilíngue na escola”, curso oferecido em uma Escola
Estadual de Ensino Médio em Vitória (ES)

Resumo

Nos últimos tempos, o mundo cada vez mais globalizado, conectado e plural tem demandando que as pessoas sejam mais tolerantes às diferenças em todas as esferas: cultural, social e, principalmente, linguística. Saber língua(s) estrangeira(s) e fazer-se compreender na sua própria língua e na língua do outro configura-se como ponto crucial para o cidadão do mundo. Esta pesquisa, de base qualitativa e exploratória, investigou de que maneira se desenvolveu a competência plurilíngue em alunos de Ensino Médio, de uma escola pública de Vitória, utilizando a abordagem da intercompreensão (IC), destacando os benefícios que essa prática pode gerar, além dos fatores que dificultam sua implementação. Para tanto, foi
criado um curso intitulado de Leitura Plurilíngue na escola, com a utilização do livro EuRom5 e textos complementares. O quadro teórico básico se apoiou nos conceitos da política linguística (CALVET, 2007; RAJAGOPALAN, 2003), do plurilinguismo (BEACCO, 2005; CANDELIER, 2007), da intercompreensão (JAMET, 2015; BONVINO, 2011; CAPUCHO, 2004) e das teorias de leitura em língua estrangeira (PIETRARÓIA, 2001; KOCH 2015; MORDENTE e FERRONI, 2011). O corpus de análise se constituiu por meio de questionários de desempenho, autorreflexão e entrevistas com os participantes durante o curso. Os resultados demonstraram a maneira como estes desenvolveram (e perceberam) suas competências leitoras em
língua estrangeira, os benefícios gerados pela IC, bem como os desafios a serem enfrentados para a implementação de uma política linguística plural na escola regular brasileira.

Palavras-chave: Intercompreensão; política linguística; plurilinguismo; educação plurilíngue

Riassunto

Negli ultimi anni, il mondo sempre più globalizzato, connesso e plurale richiede che le persone siano più tolleranti alle differenze in tutti i settori: culturale, sociale e soprattutto linguistico. Conoscere le lingue straniere e farsi capire nella propria lingua e nella lingua altrui è un punto cruciale per il cittadino del mondo. Questa ricerca, qualitativa ed esplorativa, ha voluto cercare in che modo possiamo sviluppare la competenza plurilingue negli studenti delle scuole medie, di una scuola pubblica di Vitória, utilizzando l’approccio di’intercomprensione (IC), evidenziando i benefici che questa pratica può generare, oltre ai fattori che ne ostacolano l’implementazione. A tal fine, è stato creato un corso dal titolo Leitura plurilíngue na escola, utilizzando il libro EuRom5. Il quadro teorico si basa sui concetti di politica linguistica (CALVET, 2007; RAJAKOPALAN, 2003), di plurilinguismo (BEACCO, 2005; CANDELIER, 2007), dell’intercomprensione (JAMET, 2015; BONVINO, 2011; CAPUCHO, 2004) e di teorie di lettura in lingua straniera (PIETRARÓIA, 2011; KOCH, 2015; MORDENTE e FERRONI, 2001). Il corpus di analisi consiste in questionari di lettura, autoriflessione e interviste con i partecipanti, realizzate durante il corso. I risultati hanno dimostrato il modo in cui gli allievi hanno sviluppato (e hanno percepito) le loro capacità di lettura in diverse lingue straniere, i benefici generati dall’IC, nonché le sfide da affrontare per l’attuazione di una politica linguistica plurale nella scuola regolare brasiliana.

Parole-chiave: Intercompreensione; politica linguistica; plurilinguismo; educazione plurilingue.

Cláudia Heloisa Impellizieri Luna Ferreira da Silva

Vice-Coordenador/Deputy Coordinator

Miguel Ángel Zamorano Heras

 

posneolatinas@letras.ufrj.br

Telefone/Phone

55 21 3938-9771

 

Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas
– Faculdade de Letras / UFRJ

Av. Horácio Macedo, 2151
Salas F-325
Cidade Universitária CEP 21941-917
Rio de Janeiro – RJ